Auditório Ewerton de Medeiros

O Auditório “Ewerton de Medeiros” é um espaço aberto às apresentações da Escola, destinado a recitais, concertos e eventos culturais. Foi designado oficialmente, na tarde de 15 de outubro de 1964, com o nome do professor Ewerton de Medeiros.

Ewerton de Medeiros nasceu pouco antes da 1° Guerra Mundial, quando o Cubismo fazia sua trajetória mundial na pintura com valor decorativo de suas coleções a Braque e Picasso. Já na sua adolescência, Ewerton de Medeiros assistiu André Breton publicar o manifesto surealista. A revolta das formas de Massen, Magritte, Juan Miró e Salvador Dalí impuseram situações sociais e modos que a natureza nada tem a ver entre si, e Ewerton de Medeiros conservou-se dentro da versão natural, foi conservador, faltou-lhe o paisagismo campestre, a brutalidade monstruosa da Metrópole, onde nunca viveu.

Estudou um pouco de desenho escolar com Henrique Farjat, no colégio Lemos Junior; a Pintura no Atelier Giovanini, com dona Alzira, mas seu aprendizado fortaleceu-se por ser autodidata, desafiando padrões.

Suas pinturas iniciais foram manifestações acadêmicas, seus nus são impressionantes. As “Nereidas”, composição de mulheres nuas saindo de uma concha gigantesca. Nas paisagens pendia para as miniaturas. Mas o academismo de Ewerton de Medeiros revelou-se na expressão poética de muito de seus quadros: Leda e o cisne; Nereida e o Mar; Romanas; Senhor de Jacó; Clair de Lune; Rosas; Flores…

Em junho de 1964, inesperadamente, morre Ewerton de Medeiros, aos 56 anos, solteiro, deixando um espaço em branco, e uma bagagem cultural ímpar, pois além de excelente pintor, era também exímio pianista, de fina educação e cativante no modo de tratar.

Seu corpo foi transladado para a Escola de Belas Artes, por determinação do Governo do Município, já que lecionava nesta Escola. Após, foi levado para o cemitério da Santa Casa, onde foi enterrado.

Comentários encerrados.
%d blogueiros gostam disto: